Não deu tempo de perguntar para ele se gostaria de alterar a lista. Se não estivesse no hospital, inconsciente, tenho certeza de que me responderia com a rapidez e a gentileza de sempre.

Scliar respondia rapida e gentilmente a entrevistas, de qualquer veículo, sem pensar se era de pequeno ou grande porte;  distribuía elogios em orelhas de livros para quem o pedisse (mais de uma vez, ouvi escritores comparando-o a Jorge Amado, de quem era amigo, justamente por essa generosidade); e apesar de doar tanto tempo para os outros, era prolífico, escrevia crônicas e resenhas para o dia-a-dia, o que não o impedia de fazer seus livros, mais de sete dezenas de obras.

Eis sua estante afetiva, um misto de escritores de ascendência judaica, gaúcha e nordestina.

“O Alienista” - Machado de Assis

“A Metamorfose” - Franz Kafka

“ O Exército de Cavalaria” - Isaac Babel

“Laços de Família” - Clarice Lispector

“Caminhos Cruzados” - Érico Veríssimo

“A Educação pela Pedra” - João Cabral de Melo Neto

“Macbeth” -  William Shakespeare

“Alice no País das Maravilhas” - Lewis Carroll

“Contos Gauchescos e Lendas do Sul” - J. Simões Lopes Neto

“Tenda dos Milagres” -  Jorge Amado

Leia os "dez mais" de Milton Hatoum, Thiago de Mello, Francisco Alvim e Cristovão Tezza.